Treatments de baixa qualidade matam mais que ausência de terapias

El número de muertes causadas por el número de muertes por primera vez es 5 veces superior o total de mortes anuais para VIH y SIDA, y 3 veces superior a vítimas de diabetes. La emisión equivale a 5 milhões de mortes por año em 137 países de baixa y média rendas por count de má qualidade dos serviços de sanidade nestes locais.

Isto é o que fora revelado pela nova análise da La Comisión de Salud Global Lancet sobre os sistemas de salud. Una comisión realizó un proyecto de dos años que reunió a 30 académicos, formuladores de políticas y especialistas en salud de 18 países. Eles examinaram a qualidade dos sistemas de saúde em todo o mundo e descobriram, o que era de se intuir, que os tratamentos sãopracticamente os mesmos em todos os lugares. Mas, o mais perturbador es que os de má qualidade são ainda mais prejudiciais do que a própria ausência de tratamiento. Segundo o estudo, além dos 5 milhões de óbitos já mencionado, há 3,6 milhões de Vidas perdidas devido ao insuficiente acesso às terapias de cura.

Este es o primer estudo que cuantifica una carga de sistemas de saúde de baixa qualidade em todo o mundo.

Using os números de um estudo feito pela Carga mundial de morbilidad 2016, os autores analisaram dados de 61 diferentes condições de saúde and calculam or «excesso de mortalidade» observado os pacientes de países de baixa e média rendas, ou seja, o risco adicional de morte nesses países em comparação com os corresponsales risos nos countries of alto rendimiento y com fortes sistemas de saúde. Dentro de 5 milhões de mortes atribuídas à má qualidade do atendere recebido, 1.9 milhões, ou quase 40%, ocorreu no Sul da Asia, or que inclui Índia, Paquistão and Afeganistão.

«A má qualidade dos cuidados de saúde foi um factor importante de» exceso de mortalidad «em todas as condições, das doenças cardiovasculares and lesões às doenças neonatais and transmissíveis», explicam os cientistas.

Servicios de salud de má qualidade é uma das principais causas de mortes em todas as condições nos países de baixa e média rendas: 84% das mortes por doenças cardiovasculares, 81% das doenças evitáveis, 61% das doenças que média and média rendas estradais, tuberculose , HIV y outras doenças infecciosas.

«Mesmo se os esforços para extender una cobertura de saúde universal continuem a impulsionar a agenda da saúde global, esses números nos lembram que abordar a qualidade dos systems of saúde must be uma prioridade», dijo Joshua Salomon, profesor de medicina, miembro de la comisión de Política de salud de Stanford y autor sénior deste estudo da La lanceta.

Es aquilo que sabemos em nossa pele: não adianta only to access to população aos serviços sanitários public and free. Es preciso oferecer qualidade neste serviços. Triste realidad.

A veces interesa ler também:

CONHEÇA OS ANTICONCEPTIVOS DADOS FREE PELO SUS

AS NOVAS TERAPIAS ALTERNATIVAS OFERECIDAS PELO SUS. AGORA SÃO 29!