Resistência aos antibióticos: não seegue mais curar as infecções, alarm a WHO

A la OMS lança um novo alarme. En 22 países, para resistir a los antibióticos se encontraron 500 mil personas con infecciones bacterianas. Em outras palavras, em mais de meio milhão de pessoas os antibióticos utilizados não tiveram or efeito desejado.

Com base no sistema de vigilância Glass (Global Antimicrobial Surveillance System), lanzado en octubre de 2015 para monitorear a propagação das superbactérias, os novos dados revelaram altos níveis de resistência a uma série de infecções graves, so em países de alta renda como nos países maiz pobre.

Sendo assim, or sistema de vigilância global revelou um início generalizado da resistência aos antibióticos. Como bactérias mais resistente foram a Escherichia coli, Klebsiella pneumoniae, Staphylococcus aureus y Streptococcus pneumoniae, seguido de Salmonella spp. O sistema no incluido dados sobre resistência de Mycobacterium tuberculosis, causante de la tuberculosis.

La resistencia a la penicilina, o ingrediente activo utilizado durante décadas para tratar una neumonía, varía de cero a 51 % entre los países y entre 8 % y 65 % de eficacia de antibióticos como ciprofloxacina para combatir E. coli en infecciones urinarias.

Até à data, 52 países (25 países de alta renda, 20 de renda média y 7 países de baixa renda) están registrados sin un sistema mundial de vigilancia antimicrobiana de la OMS.

Os dados apresentados neste primeiro relatório GLASS variam de Estado para Estado. Alguns países están intentando enfrentar o problema através de sistemas nacionais de vigilância.

Por ejemplo, o Quênia impulsionou or desenvolvimento de seu sistema nacional de resistência antimicrobiana, en Tunísia começa a agregar dados sobre a resistência antimicrobiana, en República da Coreia está revisando la metodología GLASS, proporcionando dados da mais high qualidade and complete Afistude and, pa and Camboja estão fortaleciendo suas capacidades de vigilância.

«O relatório confirma a grave situação da resistência aos antibióticos em todo o mundo», diz dr. marc sprenger, director de la Secretaría de Resistencia Antimicrobiana de la OMS. «Algumas das infecções mais comuns no mundo – and might more perigosas – estão se demonstrando resistente aos medicamentos, special os agentes patogênicos que não respeitam as Fronteiras nacionais, e é por isso que a WHO anima a todas las personas que están vigilantes a instituirem bons sistemas de vigilancia de fornecer dados sobre este sistema global”.

Já se vem falando deste problem has algum time and ainda não nos conscientizamos or suficiente sobre or devido use, responsável, destes medicamentos. Antibióticos usados ​​​​na pecuária también são um problem, além da automedicação que os humanos fazem. Antibiótico não é agua! Leia mais sobre este contratado nos enlaces abaixo:

BACTÉRIAS RESISTENTES AOS ANTIBIÓTICOS PROVOCARÃO UMA «APOCALIPSE ANTIBIÓTICA»

USO DE ANTIBIÓTICOS NA CRIAÇÃO DE ANIMAIS AND AS DOENÇAS QUE ISSO PODE NOS CAUSAR

RESISTÊNCIA AOS ANTIBIÓTICOS: VEJA AS 12 BACTÉRIAS MAÍZ RESISTENTES