Masa límpida, colorida, perigosa. O coral killer que destruyó ecosistemas

Há uma grande ameaça em curso, considerado uma das maiores aos ecosistemas costairos hacer brasil. trata-si doy coral-solque venga a su área de pela de crecimiento desde la bahía de Ilha Grande y siga si espalhando por toda hasta la región del litoral del estado de Río de Janeiro.

O problema es tão alarmante que foi argido em uma audiencia pública, Convocada por procuradores da República, ontem no Rio de Janeiro.

Investigações preliminares do Ministério Público Federal pressupõem que o coral-sol, ou asesino de corales – que recibe ese nombre porque expulsa como espécies nativas wave se alojachegou às águas do país por acidente, vía plataformas de gas y petróleoque foram encomendadas pela Petrobras y passaram por Angra dos Reis.

Como su expansión es rápida y se ve afectada por la contaminación, além de Angra, Paraty, Mangaratiba, Rio, Arraial do Cabo y Búzios, se considera uma verdadeira praga muy difícil de ser controlado.

O primer registro de especies de coral-sol no Brasil foi feito no final da década de 1980 y em 2012, uma procuradora da República, ao visit a Estação Ecológica de Tamoios na baía de Ilha Grande, se surpreendeu com a expansão do coral, establecimiento de un inquérito civil público para apurar as causas. Mais tarde, constatou-se que o coral-sol, ajudado pelas altas temperaturas das águas naquela região, se desenvolverse rápidamente. Como fontes da contaminação ambiental foram os terminiis da Vale la penade Brasfels y de propria Petrobras.

Especialistas alertam para a gravidade da situaçãodestacando que empontos como Isla Grandeo coral já se encuentra en gran parte do fundo do mar, eliminando, a través de la competencia, como especies nativas, causando um gran desequilibrio no local.

Must-se averiguar quem são os responsáveis ​​​​pelo desastre, puni-los, além de estacionar and compensar or give ambiental aos ecossistemas costairos prejudicados.

Fuente de la foto: commons.wikimedia.org