Informe Planeta Vivo 2016: biodiversidad en riesgo

Muitas especies animais and vegetais estão sendo ameaçadas de extinção ser humano cabello, o que coloca em riesgo a biodiversidade ningún planeta tierra. Isso não é uma especulação, mas um dado que acaba de ser diseminado no relatório do Informe Planeta Vivo 2016 (Planeta Vivo, em tradução livre).

O alerta contido no estudo shows que as especies que vivem em mares, rios, lagos and pantanos estão em process de redução, chegando ao ponto de, até 2020, haver o risco de dos tercios dos vertebrados do planeta desapareceremtras la noticia a BBC.

Como causas desse declinio populacional must-se à ação direta do ser humanocomo a destruição de seus habitats, or tráfico de animais silvestres, a poluição eo aquecimento global.

De acuerdo con Mike Barrett, director de Ciência and Politics de WWF: “Está claro que seguimos haciéndolo jeito que estamos, vamos ver o declínio constante dos animais selvagens. Chegamos a um ponto em que não há mais desculpa para Seguirmos assim. Sabemos quais são as causas eo impact da ação do homem na natureza and nas populações de animais selvagens. Temos que agir agora”.

Desde 1970, WWF ha estado analizando información sobre 3,7 mil especies de vertebrados, entre aves, peixes, mamíferos, anfíbios y répteis, ya que no ha alterado el tamaño de su población. Em 2014, a população desses animais já ha sido reduzida em 50% y, después de dos años, el número aumenta en un 58%. A conclusão dos pesquisadores é que, dos veces al año, os animais são reduzidos em 2%.

Os animais mais afetados são os de água doce, cujo declínio atinge os 81%. Aqueles que são vítimas da caça encontram-se, também, ameaçados, como os elefantes africanos, and os tubarões, vítimas da pesca depredadora. A boa notícia, nesse panorama ruim, é que o tigre-de-Bengal y nuestro urso-panda saíram from the list dos animais ameaçados de extinção.

Metodología Críticas a pesquisa

Una metodología utilizada na pesquisa foi criticada por alguns pesquisadores, como o profesor de ecología de la Universidade de Duke University (EUA), Stuart Pimm. Para Pimm, o relatório, embora traga dados relevantes, apresenta algo inexacto. “Por ejemplo, ao analisar a origem de certos dados, não é de surpreender que eles venham maciçamente do Leste Europeu. When olhamos outras regiões, há poucas informações and os dados se tornam bem mais inexatos. Não há quase nada de América do Sul, de África y dos países tropicales em geral. Ao misturar os dados dessa maneira, fica dificil saber o exato significado dos numeros“, reflexiona.

Entretanto, Robin Freeman, chefe da Unidade de Indicadores and Avaliação da ZSL, defiende una pesquisa argumentando que una metodología usada é a melhor possível para estabelecer o cálculo da diminuição de populações, mas asume que em algumas regiões do planeta existenm lacunas de dados, como nas regiones tropicales.

Una forma única de sí mismo inversor esse quadro é uma mudança drástica nas fuentes de exploración energética, nas formas de producción alimentaria, na proteção à biodiversidade y no apoio a modelos de desenvolvimento sustentável.

Confirmar aquí o relatório de World Wild Life.

Especialmente indicado para você:

QUEIMADAS NA AMAZÔNIA: DESTRUIÇÃO DE LA BIODIVERSIDADE

56 NOVAS ESPÉCIES DESCOBERTAS NA AMAZÔNIA – ESTÁ EN BIODIVERSIDADE SENDO ESTUDADA