Diaristas dispensadas sin pago: una categoría es una mais atingida pela crise coronavírus

O Instituto de locomotoras realizou uma pesquisa entre os dias 14 y 15 de abril y constatou que 39% dos patrões dispensaram como diaristas sem pago durante una pandemia hacer coronavirus.

A situação das trabalhadoras domésticas – são mais de sete milhões de mulheres nessa ocupação – es lo suficientemente representativo como para dar una imagen. Como que fazem bico como diarista eram 31,7% del total en 2015, siguiendo a Organização Internacional do Trabalho – OIT, más há indícios de que la cifra aumentó como una recesión económica, acompañando una tendencia general de aumento de informalidade.

Desde el inicio de la pandemia de coronavirus, las orientações de prevenção y segurança fornecidas pela WHO están focalizadas en el aislamiento social y el desapego e higienização pessoal e de utensílios.

Cuando en pesquisa muestra que casi el 40 % de las empleadas domésticas diaristas se dispensan sin manutención del pago de sus salariosfigura evidente que uma grande parcela dessas mulheres perdu o trabalho e está sem renda e outra parte, continúa trabalhando, ficando expostas ao contágio pelo vírus.

Os mais ricos são os que menos pagam

A pesquisa muestra que son porcentaje de dispensa das trabalhadoras sem manutenção do payment é ainda maior entre os entrevistados pertencentes às clases A y B – camadas da sociedade em que a hacer por pessoa da família superior ao teto de R $ 1.526 mensaisbuscar el 45%, justamente entre las personas que, en la práctica, con mayor poder adquisitivo, poder seguir pagando a sus diaristas, como forma de ayuda humanitaria.

O que más surpreendeu na pesquisa é que a porcentagem de patrões que dispensaram suas empregadas e diaristas mas mantiveram or payment for maior entre os patrões from class Clo que lo hace por persona de familia varía entre R $ 536 a R $ 1.526, que entre los grupos A y B. Busque el 40% de dos empleados de la clase C disseram practicar una despensa remunerada, enquanto o grupo AB, tal porcentaje es del 36%.

A pesquisa também indicou que 39% dos patrões de diaristas and 48% dos patrões de mensalistas, declarem that its funcionárias estão mais protecteds contra o novo coronavírus se ficarem em casa recebendo or payment normalmente para cumprir or distanciamento social required contra a doença.

O sócio y presidente del Instituto Locomotiva, Renato Meirelles una situação es alarmanteTiendo a ver que na maioria dos casos, ou as trabalhadoras ficaram sem renda, ou continuam trabalhando se deslocando por grandes distâncias pela cidade and pelos transports públicos, if expondo a RISCOS.

“Tem muita people trabalhando, mesmo com all os risos. Claro que isso es preocupante, incluyendo elas são muitas vezes a ponte da transmissão de vírus para a suburb «, afirma Meirellesque acrescenta que, do ponto de trabalista view, as diaristas são a representação mais fiel da fragilidade do trabalho eventualsem fiduciaias em períodos de crisis.

Na maioria dos casos, essas pessoas moram nas regiões periféricos, menos favorecidas, com menor capacidade de aislamiento e higiene y acabam disseminando o vírus com mayor rapidez.

O estudo

Para realizar o estudo, or Instituto Locomotiva entrevistou uma mostramos 1,131 personas por telefono, en las ciudades de todos los Estados de la federación. A pesquisa ouviu homens and mulheres com 16 anos ou mais, and tem margem de erro de 2,9 pontos para mais ou para menos.

O presidente de ONG Instituto Doméstica LegalMario Avelino, afirma que, apesar de os empregadores de diaristas não serem obrigados legalmente para practicar una despensa remunerada, podem ter «bom sense eo respeto ao ser humano«.

“Tem que pensar que está protegiendo a sua funcionária, a família dela, a família e as personas do entorno. Qualquer pessoa pode contrair o vírus, y até saber que contraiu, pode estar diseminando”, afirma. “Se o empregador pude liberar, faça isso. Agora, sem perjudicar a rend daquela trabalhadora.”

Desde or início from pandemia, addedaram os relatos de trabalhadoras domésticas que ficaram semma de um dia para o outro.

O asumido ganhou destaque nacional, especialmente depois que foi noticiada a primeira death no estado do rio de janeirode uma empregada doméstica de 63 anos que contraiu Covid-19 após contado como patroa, que esteve na Itália and também contraiu o vírus.

Despesas Cortadas

Es importante como pessoas se conscientizarem que é um moment de muita fragilidade e insegurança.

Há brasileiros que contratavam diaristas and também perderam ou tiveram a renda diminuída, and dentre as despesas que foram cortadas, a primeira, foi a do trabalho domestic.

A partir del convenio con el Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) y el Instituto Locomotiva, el 11% de las familias brasileiras cuentan con o serviço de ao menos uma trabalhadora doméstica.

El presidente del Instituto Locomotiva afirma que se surpreendeu com o resultado de pesquisa, porque acredita que a proportção de empregadores que dispensariam as funcionárias mas manteriam or payment seria maior, principalmente em função do gran engajamento às campanhas sobre or theme and os debates nas redes sociais.

“O engajamento era muito maior do que a gente viu na prática”, finaliza Meirelles.

De qualquer maneira, ficou demostró que as empregadas domésticas com empregatício financeiramente estão mais protegidas vínculos que as diaristasmas não em questão de saúde, place que, a maioria, como finger, foi mantida no trabalho, expostas ao risco.

Já as diaristas que perderam a renda, no moment, somente podem contar com o auxílio emergencial propone pelo gobierno federal no valor de R $ 600,00 and R $ 1.200, 00 for or case das mães solteiras, com renda não superior to meio salário mínimo for personas del grupo familiar.

A veces interesa ler também:

Alerta OMT: crisis provocada por coronavírus vai gerar milhões de desempregos

Covid-19: com + de 50 mil mortos nos EUA, Trump sugere injeção de desinfetante. brasil podes estar ainda pior

Coronavírus Brasil: a tragédia que ninguém esperava, go chegar em todos os lares