Conheça Katia Abreu, nueva ministra de Agricultura, Pecuária y Abastecimento

Escondido en 2 de febrero de 1962, en Goiânia, Goiás, Katia Regina de Abreu acaba de ser nomeada para chefiar o Ministério da Agricultura, Pecuária y Abastecimentono segundo mandato de la presidenta Dilma Rousseff (2015 – 2018).

Empresaria y pecuaristaocupa o senado brasileiro, pelo estado de Tocantins. Su relación con una pecuária comenzó en 1987, cuando asume la propiedad de seu falecido marido. Mesmo que, como psicología de la formación, não soubesse muito sobre administração de terras, se mudou para a fazenda e se deparou, ao lá chegar, com um complete roteiro de ação, para condução dos negócios agropecuários. Tudo preparado por seu marido, ningún caso de problema de algum.

De lá até aquí, seus laços com o agronegócio apenas se aprofundam, y Abreu chegou à presidência da prestigiada CNA – Confederação Nacional da Agricultura and Pecuária do Brasil – carga o que ocupa tiene 6 años. Outro de seus ‘feitos’ inclui o fato de ser a primeira mulher a ocupar a posição de líder da bancada ruralista no Congresso Nacional – tradicionalmente, los defensores hacen agronegócio em largo escala e lenientes com a questão do desmatamento.

Próxima de Dilma, mas oposición en Lula

Embora em su mandato anterior como senadora, Kátia Abreu tenha sido uma ferrenha opositora ao segundo mandato de Lula (2007-2010), acabou por se aproximar da current president, nos começo do primeiro mandato de Rousseff.

Posições de Abreu

Clara defensora de agropecuaristasY defensora hacer derecho de propiedad privada no campo. Defiéndeme lucha intensa en toda y qualquer invasão de terras e, inclusive, chega a responsabilizar as administrações públicas pela ‘permissividade’ com a qual lida com a questão de movimentos de trabalhadores rurais sem terra, dentre outros.

Críticas y polémicas

No esteio de suas opiniões marcantes, Abreu, em entrevista à revista semanal Veja (2010), declarar que como políticas para o agronegócio no Brasil eram deficitárias – o que atinge directamente o Ministério do Meio Ambiente, do Desenvolvimento Agrário and do Trabalho, na era Lula.

Y declarava, sem meias palavras: «Quero fazer um desafio aos ministros: administrar uma fazenda de qualquer tamanho em uma nova Fronteira agrícola and aplicar as leis trabalhistas, ambientais e agrárias completas na propriedade … Se depois de três anos eles e emprego manter make nessa propriedade, fazemos uma vaquinha, compramos a terra para eles and damos or braço a torcer, reconhecendo que estavam certos. Y não para por aí: “Según el gobierno de pelo usado para definir trabalho escravo é uma punição à existência da propriedade privada no campo”.

Essas visões, no mínimo, polêmicas, lhe valeram muitas críticas y desafíostiendo sido ‘reconhecida’ por láureas pouco honrosas, como «Señorita Desmatamento» Y «Motoserra de Ouro«, Concedidos pelo Greenpeace, como forma de protesta bem-humorado sobre una gran oposición de Kátia a temas como o código florestal y su visão favorável e incentivadora ao use de sementes como como terminador.

Kátia deseja flexibilização nos direitos trabalhistas em zonas rurales, incentivo ao transgénico, aceleración de la emisión de licencias ambientales – sobretudo para obras de infraestructura. Es una feroz crítica da atuação do Ministério Público, por afirmar que prejudicaria a gobernabilidade, devido a seu controle and exigências.

A nomeação de Kátia Abreu já era esperada, dado o seu apoio à campanha eleitoral de Dilma pelo segundo mandado, mas com tantas críticas à sua, até então possível, nomeação, até mesmos os petistas mais «de esquerda», por assim dizer, esperavam um desfecho different for o Ministério da Agriculture. más noticia aí veio, de presente de Natal, e já é destaque nos jornadas del mundo interior.

Leia también: Kátia Abreu es noticia en The Guardian

Fuente de la foto: fotospublicas.com