Caiçara es cultivar de tierra povo que sabe

Caiçara, povo litoral, de mar e terra, serra y restinga es povo que sabe cultivar en el suelo tirando del seu sustento sem agredir a natureza. O caiçara é aquele que, originário dos portugueses colonizadores, if estabeleceu no littoral brasileiro, between Rio de Janeiro and Santa Catarina. Una cultura caiçara es sustentável.

Tragus hoje para a su lectura um trecho do meu livro «Cultura caiçara – resgate de um povo“, Livro este que resultou de uma pesquisa de campo, en 2000, nos municipios do littoral on the state of São Paulo. Es importante de se resgatar os traços culturalis de comunidades tradicionales lunares, não só como curiosidad cultural mas também as conhecimentos específicos que permitiram à essas famílias, distantes de qualquer ajuda, se estabelecerem and retirm from the ground seu sustento. Y, sobre todo, es importante que reapreseamos como técnicas usadas, hoje reconhecidas como agroecológicaspor sí solo capacidade de preservar os recursos naturais.

Sobre a forma de cultivo usado pelos caiçaras, a roça de toco ou coivara, muitos estudos existenm. Si você si está interesado, de uma olhada aqui neste material e veja a importância que têm essa técnica para a preserveção do solo e da paisaje floral em todo o seu equilibrio.

Lea más: NESTE CHÃO TUDO DÁ – DOCUMENTÁRIO SOBRE COMO PRODUZIR EM EQUILÍBRIO

«O caiçara se alimenta de produtos da terra cultivada (mandioca, arroz, feijão, milho etc), de produtos coletados na mata atlântica (frutas, raízes and folhas, mel and caça) and from fishing nos rios and no mar. Povo da beira dos rios y estuários do littoral paulista, o caiçara vive em consonância com o das águas, cultivando en el suelo y coletando na mata. O respeito aos indicativos naturais – movimentos das marés, das cheias dos rios and das fases da lua – são o fundamento deste modo de vida não agressivo, perfectamente sustentável. As técnicas de cultivo usadas pelo caiçara, or plantio direto no restolho da mata, a coivara and roça de toco como sistema de cultivo, or plantio e use da mandioca, or seek para peixes nos rios mansos, todas estas formas de vivir e estar com a natureza o nosso caiçara herdou dos indígenas, seus vizinhos, muitas vezes inclusive seus parentes. A coivara and roça de tocos – indígena form de cultivo da terra na which land is parcialmente limpo pela derrubada das árvores, as galhadas são queimadas e os tocos e restos são deixados sobre o solo – foram sistemas de cultivo indígena adotados pelo caiçara adequando necessidades da vida mais sedentária (or indígena utilizava a coivarakeeping seu nomadismo característico, mudándose de lugar com grande frequência, o que proporciona longos períodos de repouso à terra, já o caiçara aplica alguma rotatividade de cultivos, do sem grandes expaçoes -se a caracteristica nômade) «.

Nas fotos acima pode-se ver aspectos da roça de toco, coivara, and to roça já mais crescida na mata, condição que mantêm o equilibrio del ecosistema.

“Una generalidad de dos grupos tribais da floresta tropical especializou-se na horticultura de raíces ou agricultura de coivara caracterizada pelo cultivo a través de mudas y não por semeadura. Na escolha das terras destinas ao cultivo davam preferência aos solos argilosos y áreas com declives, de modo a permitir a drenagem da água and Avoid o apodrecimento das raízes. Es interesante notar que, apesar do conhecimento europeu sobre formas de cultivo más “modernas”, o caiçara prefere o use do chuço – pau de ponta aguçada – para penetrar el suelo e incorporar una semilla a ser plantada. O use la posibilidad de este instrumento para mantener de roça de tocos na qual um arado não temo act adequadamente.

A preservação desses conhecimentos é legado da maior valia para a humanidade que, cada vez com maior urgência, specifics reaprender a respeitar a natureza, seu own meio environment«.

A veces interesa ler também:

PERMACULTURA: UNA CULTURA PERMANENTE QUE NÃO ESGOTA OS RECURSOS

ITANHAÉM Y SEU RIO DE HISTÓRIAS Y PAISAGENS

CANOA CAIÇARA: ARTE ANTIGA, HERANÇA INDÍGENA QUE POVOA NOSSO LITORAL